DestaquePolícia

Palocci detalha entrega de dinheiro vivo a Lula

No acordo de delação premiada firmado com a Polícia Federal – PF no Paraná, o ex-ministro Antonio Palocci Filho detalha como se deu o esquema de corrupção na Petrobras, e de que forma os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff participaram das tratativas. Palocci está preso preventivamente, desde setembro de 2016, na sede da PF em Curitiba, mesmo local onde Lula se encontra. O ex-ministro já foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, em junho do ano passado, a 12 anos de prisão, por lavagem de dinheiro e corrupção passiva envolvendo contratos com a Odebrecht na construção das sondas da Sete Brasil e o Estaleiro Enseada do Paraguaçu. 
 
De acordo com informações do jornal O Globo, nos depoimentos de colaboração, o ex-ministro chega a afirmar que Lula recebeu dinheiro vivo. A defesa do petista nega. Dilma Rousseff também se pronunciou e afirmou que Palocci produz “peças de ficção” para “agradar aos investigadores” e conseguir liberdade. O ex-ministro já havia tentado fechar acordo de delação com o Ministério Público Federal – MPF, sem sucesso. Há, atualmente, uma disputa entre a PF e o MPF em torno da competência dos órgãos para tratar de colaborações. Para começar a valer, a colaboração ainda tem de ser homologada pela Justiça. 
Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o ex-ministro já havia afirmado que Lula avalizou um “pacto de sangue” no qual a empreiteira Odebrecht se comprometeu a pagar R$ 300 milhões em propinas ao PT – Partido dos Trabalhadores entre o final do governo do petista e os primeiros anos do governo de sua sucessora na presidência. O ex-ministro disse, ainda, conforme a Folhapress, que o acordo foi fechado numa conversa entre Emílio Odebrecht Lula.

Jonas Mello

Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar